• Lourenço Becco

Robocop | de José Padilha


José Padilha é incapaz de fazer um filme mal dirigido, e este aqui não o é, pelo contrário. É revigorante ver que um diretor brasileiro consegue lidar com o orçamento e o maquinário necessários para se fazer um filme em Hollywood. O prólogo em Teerã é excelente e nos faz perguntar por que tudo aquilo é abandonado no resto do filme. A crítica política, sempre presente em suas obras, está aqui, e o diretor, na figura do apresentador ultradireitista do Samuel L. Jackson, ri dos Estados Unidos usando o dinheiro deles para isso. Outro ponto forte do filme é o elenco, em especial o Gary Oldman. O filme também acerta em explorar toda a construção e a adaptação do Robocop, que foram relegadas no original. O problema começa quando o policial-robô entra em ação. É tudo muito genérico. Pior que isso, é asséptico, já que o diretor tem que lidar com a censura PG-13 e não pode mostrar sangue, chegando a fazer uma cena de tiroteio no escuro, evitando mostrar o desfecho de tanta gente morta. Além disso, os vilões não convencem: o bandido que matou o Murphy é tão sem graça que faria o Baiano do "Tropa de Elite" corar de vergonha, e o Michael Keaton faz o que pode, mas não passa do caricato. Ah, mas tem o ED-209! Tem, mas pra que tê-lo no filme se é subutilizado pelo roteiro? Aliás, o clímax do filme é de uma humildade tão franciscana em seu confronto final, que fica a dúvida sobre o quanto foi investido. Mas o pior é mesmo o Robocop. Todo aquele conflito entre máquina e homem, a tridimensionalidade do personagem (que tinha tudo pra ser unidimensional), a construção de uma nova identidade, o humor negro e a eficiência operacional, o conflito contra as diretrizes, os pequenos detalhes (comida de bebê) e o grotesco (vê-lo sem capacete, puro Frankenstein) de sua persona, é tudo minimizado e diluído aqui. Até a inserção da família dele fracassa, por que sua esposa nunca soa como um personagem plenamente construído, mas como um artifício do roteiro. Enfim, seja como máquina ou como homem, esse novo Robocop não consegue soar real.